e-Sports: 5 Dicas de um Team Manager!

Inatel e-Sports

Saudações, guerreiros!

Nem a crise, nem as incertezas do cenário político atual, impediram que o mercado de games no Brasil, crescesse de maneira avassaladora. Contudo, a indústria gamer brasileira, movimentou em torno de US$ 1,3 bilhão! O Brasil já é o 13º no ranking global e o número um entre os latino-americanos.

São esperados para este ano, 75,7 milhões de gamers que devem gerar US$ 1,5 bilhão em negócios.

e-Sports: Profissão dos Sonhos

A brincadeira ficou séria!

Em contrapartida, inserido neste mercado, surge um cenário que não só cresce, como já é o sonho de muitos players. Ser um profissional de e-Sports! Ainda não há legislação voltada para essa modalidade, por consequência,  não há precedentes, escolas nem estradas feitas para serem seguidas.

No entanto, quem tem como projeto de vida seguir esta profissão, fica perdido e inseguro ao tomar a decisão de se dedicar 100% ao e-Sports. É compreensivo, o cenário é competitivo, árduo, exige determinação e foco para se aproximar do ideal.

No entanto, esses requisitos são necessários para tudo o que você decidir fazer na vida, guerreiro.

Brasil: Oficializaremos a profissão?

O senador Roberto Rocha, que sugeriu o projeto de lei n° 383 em 2017, ainda permanece em tramitação e dispõe sobre a regulamentação da prática esportiva eletrônica. O projeto, uma vez que  aprovado pela Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática, ganha forças para ultrapassar os próximos desafios.

O pedido de regulamentação, segu agora para a Comissão de Educação e, se aprovado, passará pela Câmara dos Deputados. A fim de garantir direitos e benefícios contratuais convencionais, o jogador será considerado atleta como qualquer jogador de futebol, basquete e outros esportes.

Arena RAWAR Entrevista

Conversamos com dois profissionais do mesmo time. Neste diário de guerra, traremos a entrevista com o Rafael Prado, 30, Team Manager do Inatel e-Sports que, entre outras coisas, deu 5 dicas essenciais para te ajudar durante a jornada.

Pega o café e olha só o que rolou:

Rafael Prado - Team Manager do time
Rafael Prado – Team Manager do time

O Início da Trajetória

AR: Rafael, é um prazer trazê-lo para a Arena RAWAR. Qual foi seu primeiro contato com os games?

RP: Desde muito novo, quando ganhei meu Super Nintendo. Foi paixão à primeira vista. Por volta de 2002, no auge da era do Counter Strike e das lan houses, comecei a me interessar por jogos de uma maneira mais competitiva.

Aprimorando a Diversão

AR: Quando cogitou a possibilidade de que, além da diversão, os jogos poderiam ser também profissão?

RP: Sempre tive interesse. As coisas começaram a caminhar para esse lado quando assumi a presidência do time do Inatel,  que é um time de e-Sports universitário. Conciliava o posto de jogador e streamer com a função de Team Manager.

e-Sports no Brasil!

AR: Como você analisa o cenário atual de e-Sports no Brasil?

RP: O cenário brasileiro está em constante crescimento e podemos dizer que estamos entre os melhores países formadores de bons jogadores. Atualmente, temos times de referência mundial em diversos jogos como o Mibr no Counter Strike, Liquid e Faze Clan no Rainbowsix Siege, Pain no DOTA2, Kabum no League of Legends, a seleção brasileira de Hearthstone, isso sem contar jogadores individuais como o Rafifa, jogador de FIFA contratado pelo PSG ano passado.

O Time

AR: O time do Inatel existe desde quanto? Já participaram de campeonatos?

RP: Desde agosto de 2016. Inicialmente, alguns alunos queriam se juntar para ter uma equipe que representasse o Inatel tanto em campeonatos universitários quanto amadores e o time foi crescendo. Hoje temos com o apoio e investimento da faculdade e possuímos um laboratório  para treinos, estrutura ímpar.

Lab do Inatel e-Sports
Estrutura respeitável para os treinos!

Inatel e-Sports: Estrutura

O time é composto por equipes em 8 modalidades diferentes, Counter Strike, League of Legends, Dota2, Hearthstone, Rainbowsix Siege, Clash Royale, Overwatch e FIFA. Cada uma dessas equipes com seus jogadores dedicados. Temos mais de 40 jogadores.

Participamos constantemente de campeonatos universitários e semi-profissionais. Nosso time de League of Legends foi vice-campeão da LUE (Liga universitária de e-Sports) no ano passado quando o evento ocorreu no Inatel. Neste mesmo evento, nosso time de Counter Strike ficou em terceiro lugar.

e-Sports: Campeonato de LOL
Campeonato de LOL na sede do Inatel.

5 Dicas do comandante!

AR:  A RAWAR tem como missão, tornar o gamer melhor. Pode escolher 5 dicas para direcionar e incentivar os guerreiros do nosso exército?

Dedique-se e desperte o campeão que há em você.
Alguns bons resultados, não é?

RP: Ótima pergunta, vamos lá.

Enquanto você não treina, outros treinam

1 – Treino e mais treino. Entretanto, existe uma grande diferença entre jogar e treinar. Cada modalidade traz algum aspecto que precisa ser praticado, seja um jogador de Counter Strike que vai estar em desvantagem sozinho contra 3 adversários, seja um jogador de Hearthstone que precisa conhecer todas as cartas possíveis que serão jogadas no próximo turno e etc.

Corpo são, mente sã

2 – Um verdadeiro jogador profissional, não se atenta apenas sobre saber jogar bem o seu jogo é preciso cuidar também do corpo. Uma vez que o atleta de e-Sport passa horas seguidas sentado e isto é prejudicial à saúde, torna-se necessário o desenvolvimento de uma rotina de exercícios e alongamento para que isso não seja um problema futuro.

Estude os ambientes, haja com estratégia

3 – Pesquisa. É muito importante, em primeiro lugar, que o jogador conheça as estratégias e métodos usados por outros jogadores profissionais. Para isso, é preciso muita pesquisa, acompanhamento de outros jogadores profissionais e de grandes equipes do cenário. Por exemplo, quando um jogador assiste a uma partida e analisa friamente as decisões que ali foram tomadas, ele aprende com o que funcionou e com o que deu errado.

4 – Autoanalise. Sobretudo, é primordial aprender com os erros, avaliar as decisões em momentos tranquilos também.

5 – Bons equipamentos: Você imagina o Neymar, entrando pra jogar um jogo do PSG sem uma boa chuteira, chinelo ou pior, descalço? Certamente, ele saberá jogar, porém não terá a mesma confiança para chutar nem o mesmo ganho de velocidade na arrancada. Com toda certeza, isso se aplica aos profissionais de e-Sports. A abordagem é a similar. É preciso ter um bom mouse, um bom teclado, um bom monitor, um bom computador que não fique travando enquanto ele está tentando fazer aquela jogada que pode custar a partida.

Guerreiros, recado dado por quem entende. Em suma, tudo por ser alcançado se a determinação prevalecer.

No próximo diário de guerra, a fim de oferecer suporte ao nossos gamers, traremos dicas de um pro player do time.

Outra posição, outra perspectiva.

Seja imbatível com a RAWAR.

Câmbio desligo.