The Sinking City, mergulhe na insanidade!

The Sinking City

Saudações, exército!

Assim como 2018 foi um ano surpreendente no quesito games fodas, 2019 mal começou e já promete lançamentos dignos de destaque aqui na Arena. The Sinking City vem aí para entrar na mente de vocês e levá-los a insanidade completa. O jogo de ação/investigação em mundo aberto, desenvolvido pelo estúdio Frogwares, propõe sobretudo, uma narrativa repleta de significados e significantes inspirados no mítico universo de HP Lovecraft. O lançamento está previsto para o dia 21 de março e já é aguardado por fãs do mundo inteiro.

Vale lembrar que o Frogwares, além de The Sinking City, carrega na bagagem a série Sherlock Holmes e o jogo Magrunner: Dark Pulse, ambos bem-sucedidos. Em recente declaração, a produtora afirmou que esse jogo será o melhor que já fizeram.

The Sinking City – História

1920, Oakmont – Massachussets, Estados Unidos.  Charles W. Reed foi enviado para investigar uma inundação sobrenatural que desolou a cidade. Espera-se que o investigador esclareça, ou pelo menos, clareie a escuridão que tomou conta daquele pedaço da Costa Leste.  A mente dos habitantes daquele lugar foi tomada por insanidade… e a sua, corre sérios riscos.

Em primeiro lugar, sabemos que aqueles que habitavam a cidade de Oakmont, praticavam rituais religiosos herdados dos índios e vikings que há tempos também haviam vivido ali. Visitantes que chegavam de qualquer outra parte, nunca eram bem recebidos. Quais seriam os motivos para tanto isolamento? Segundo os desenvolvedores, “a cidade possui uma parcela de segredos obscuros e sinistros que vêm dessas práticas e cerimônias chocantes”.

 Whaaaat? Isso é uma explosão de possibilidades na cabeça de quem ama mitologia e horror!  😀

Em segundo lugar, sabemos também, que criaturas de  um mundo antigo surgem com a inundação e definitivamente, não são nada amistosas. A maior prova dessa malignidade é o ataque das criaturas, elas não atacam corpos, atacam mentes. As pessoas estão desesperadas e Mr. Reed precisa superar os truques causados pela insanidade da sua própria mente para sobreviver e, na melhor das hipóteses, desvendar o grande mistério.

The Sinking City
Mr, Reed

 

The Sinking City – Jogabilidade

O primeiro contato de Reed com um habitante da bizarra Oakmont, acontece de fato, na biblioteca. O nome dela é Joy e de início, a personagem aparece com a boca costurada, falando com dificuldade. Ela diz que há algo em seu apartamento novamente e que não sabe o que fazer. Em seguida, entrega o endereço ao investigador que segue em sua primeira missão.

A princípio o jogo é esse: receba a missão, opte por ajudar ou não e, posteriormente, siga com os itens oferecidos. Vimos que, você pode passar por entre cenários andando ou navegando em um pequeno barco motorizado. Além disso, o jogo apresenta um mapa que te ajuda a chegar com mais facilidade às cenas dos incidentes. Sempre que estiver nos locais de investigação, algumas pistas serão reveladas.

Segundo a produtora, não haverá marcadores no jogo. Você encontrará evidências e conversará com pessoas para descobrir algo que o leve adiante.

Quando Mr. Reed se depara com alguma cena perturbadora, a insanidade entra em atividade. É como se uma dimensão se abrisse e nela, o investigador precisa organizar os fatos através da visão da entidade ou criatura agindo. É importante destacar, que o jogo oferece de duas a três opções de respostas possíveis para dar aos personagens que solicitam investigações. Você determina o destino do jogo. Outra informação relevante, é que existem fontes de pesquisa sobre o histórico dos habitantes, ou seja, com o acesso livre a essas informações, consequentemente a solução se torna mais viável.

Shhh, Joy.
Shhhh, Joy.

Gameplays

Alguns gameplays foram lançados e cada uma delas traz informações sobre o desenvolvimento do jogo, do prólogo a arte visual. Clique nos tópicos abaixo para assisti-los:

1 – City Progress Updade 1: Lighting + Weather

2 – Death May Die       

3 – Silence is Golden 

E aí, deixamos vocês mais ansiosos?  😆

Enquanto o jogo não sai, fique de olho na Arena porque postaremos novidades! Acesse o site da RAWAR e escolha a máquina ideal para te dar suporte neste envolvente mistério.

Por fim, saudações e até o próximo diário de guerra.

Câmbio, desligo.